Mas a morte não tem livros, comida, cachorros ou feriados. A vida não tem descanso, mas a morte não tem um despertador desligado. A morte não tem música alta, festa surpresa, abraços demorados, dinheiro encontrado no fundo do bolso, nota alta na prova, beijo na boca, poesia, banho de chuva, azulejo frio, ursos de pelúcia discretos, colo de mãe. A morte não tem férias, e a vida também não. Quase é injusto. A vida não tem paz e a morte não tem tristeza, ressentimento, descaso, síndrome da invisibilidade, raiva, fome, preocupação, vestibular, chefes, tédio, contas, solidão, impotência, baixa auto-estima, invalidez, culpa, desespero, agonia, abandono, saudade e silêncio. A morte não tem arrependimento, mesmo se for forçada a acontecer. E aí, quando cansarmos do contrato e nosso saldo de coisas boas não der conta de segurar uma depressão sozinho, a gente não vai mais estar vivo pra sentir alívio. Viver é desvantagem demais. E morrer só comprova isto.

Cinzentos.  (via lesbiar)

Na cama, à noite, enquanto penso em meus muitos pecados e em meus defeitos exagerados, fico tão confusa pela quantidade de coisas que tenho que analisar que não sei se rio ou se choro, dependendo do meu humor. Depois durmo com a sensação estranha de que quero ser diferente do que sou, ou de que sou diferente do que quero ser, ou talvez de me comportar diferente do que sou ou do que quero ser.

O Diário de Anne Frank.  (via carenciada)

Enquanto ela segura suas mãos, brinque com seus dedos. Quando ela estiver com o rosto perto do seu e olhando nos seus olhos, não se demore, beije-a. Quando ela te bater ou te chutar ou estiver com raiva de você, segure ela firme e abrace-a. Quando ela estiver quieta, ela está pensando em como te dizer que te ama. Quando ela te ignora, ela quer toda sua atenção. Quando ela quer ir embora, segure ela pela cintura e nunca deixe ela ir. Quando você a vê muito mal, diga o quão maravilhosa e especial ela é para você. Quando ela grita com você, grite de volta que a ama se o sentimento for verdadeiro. Quando ela está com medo, abrace-a e diga que está tudo bem, pois você com ela. Quando ela está preocupada com algo, beije-a e diga para ela não se preocupar. Quando ela virar as costas ou fugir de você, corra atrás dela e pegue-a pela mão. Quando ela está envergonhada. Diga que a ama.

Sildan. (via incondicionada)

Você aprende a não se decepcionar, quando começa a aceitar algumas situações da vida sem dor. Quando você passa a não viver mais de expectativas. Ninguém vai ser exatamente como a gente sonha. Não espere consideração e nem que os outros façam o que você faria.

Tati Bernardi.  (via incondicionada)

Eu não quero ser a paixonite de ninguém. Se alguém gosta de mim, eu quero que goste de mim de verdade, e não pelo que pensam que eu sou. E não quero que carreguem isso preso por dentro. Quero que mostrem para mim, para que eu possa sentir também.

As vantagens de ser invisível  (via incondicionada)

Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande. Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo. É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de ações e reações, de expectativas e frustrações.

Martha Medeiros.  (via verborragias)

Por fim, pare de pensar. É o melhor conselho que um amigo pode dar a outro: pare de fazer fantasias, sentir-se perseguido, neurotizar relações, comprar briga por besteira, maximizar pequenas chatices, estender discussões, buscar no passado as justificativas para ser do jeito que é, fazendo a linha “sou rebelde porque o mundo quis assim”. Sem essa. O mundo nem estava prestando atenção em você, acorde. Salve-se dos seus traumas de infância. Quem não consegue sozinho, deve acudir-se com um terapeuta. Só não pode esquecer: sem amizade por si próprio, nunca haverá progresso possível, como bem escreveu Sêneca cerca de dois mil anos atrás. Permanecerá enredado em suas próprias angústias e sendo nada menos que seu pior inimigo.

Martha Medeiros (via incondicionada)

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

Augusto Cury. (via incondicionada)